465 milhões para idosos, crianças e deficientes

465 milhões para idosos, crianças e deficientes

O Governo e o sector social assinaram um protocolo no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência para investir 465 milhões de euros em respostas sociais para a infância, as pessoas deficientes e os idosos até 2026.

Na cerimónia, realizada em Lisboa, o Primeiro-Ministro António Costa afirmou que “as instituições de solidariedade social, as Misericórdias, as mutualidades e as cooperativas são essenciais” para a execução do PRR, “porque, em todas as áreas, identificamos intervenções que serão mais bem realizadas por estas entidades do que seriam pelo Estado”.

O governante adiantou que é “enorme necessidade de responder na área do envelhecimento, na inclusão social da pobreza, das pessoas com deficiência, na recuperação dos atrasos nas aprendizagens, nas fraquezas na área da habitação”, António Costa sublinhou a grande exigência do prazo: “até 2023, para assumir os compromissos, e até 2026, para gastar o último cêntimo”, o que se soma aos outros recursos que o País terá ao dispor no Portugal 2030, cuja programação geral será aprovada no Conselho de Ministros.

O sector social é “quem está em melhores condições para completar a rede de cuidados continuados integrados com mais 5500 camas”, exemplificou, referindo que o mesmo se passa no aumento dos cuidados domiciliários.

Redacção
ADMINISTRATOR
PROFILE