PCP quer aproveitamento do aeroporto de Beja

PCP quer aproveitamento do aeroporto de Beja

O grupo parlamentar do PCP apresentou um Projecto de Resolução na Assembleia da República sobre o aproveitamento do Aeroporto de Beja nas suas diversas dimensões e potencialidades.

No comunicado enviado à nossa redacção, o grupo parlamentar que a importância do aeroporto de Beja “resulta das suas enormes qualidades, isto é, dispõe de uma grande área para a implantação de infraestruturas aeronáuticas, espaço aéreo não congestionado, sem sobrevoo de aglomerados populacionais, condições climatológicas favoráveis e área plana sem problemas de natureza orográfica”.

O deputado do PCP eleito pelo círculo de Beja, João Dias disse à Planície que “não podemos ficar quietos olhando para aquilo que é o sistema aeroportuário nacional, sendo que Portugal Continental tem 4 aeroportos e um deles está absolutamente esquecido, ignorado, desvalorizado e desaproveitado. É nesse sentido que nós vimos apresentar um Projecto de Resolução na Assembleia da República. Este Projecto distinto, vem de uma vez, colocar aquilo que, são os pontos centrais para resolver os problemas aeroportuários no País e sobretudo no distrito”.

O parlamentar comunista referiu ainda a importância da rodovia e da ferrovia “ A melhoria da rede ferroviária e viária é fundamental para a região e deve ser

concretizada o mais rapidamente possível. É, pois, fundamental que se proceda à modernização e electrificação de toda a Linha do Alentejo, incluindo a ligação ao aeroporto de Beja, mas que também se assegure a conclusão do IP8 na sua totalidade, entre Sines e Vila Verde de Ficalho. Quem tem responsabilidade governativas não pode continuar a permitir que o investimento público ansiado e promotor do desenvolvimento, possa ser transformado num problema, o que lhe falta é vontade política para o concretizar”.

Para os comunistas o Aeroporto de Beja é “um elemento decisivo na promoção da coesão territorial, com repercussões ao nível da riqueza e do emprego que gera e que pelas suas características, pelas condições de que dispõe, pela sua localização numa posição geoestratégica entre Lisboa e o Algarve, assume no actual quadro uma importância estratégica para o País, para a região, podendo ser uma das importantes alavancas para o seu desenvolvimento”.  

E acrescentam que “a qualidade de um aeroporto e a sua influência passam pela integração no território, através de um bom sistema de transportes rodoviários e ferroviários. Assim, importa mobilizar recursos financeiros, aproveitando-se a oportunidade colocada pelo Plano de Recuperação e Resiliência, pelo novo Quadro Financeiro Plurianual, pela utilização de verbas do Orçamento de Estado e inclusive pelo recurso a crédito tendo em consideração”.

Assim os deputados recomendam ao Governo entre outros pontos que mobilize os recursos financeiros necessários, aproveitando o Plano de Recuperação e Resiliência, o novo Quadro Financeiro Plurianual, ou ainda pela utilização de verbas do Orçamento de Estado; Crie uma intermodalidade de serviços e transportes, conjugando as valências rodoviária, ferroviária e aérea, para tal, procedendo à modernização e electrificação de toda a Linha do Alentejo, na ligação entre casa Branca – Ourique/Funcheira, incluindo a ligação ao aeroporto de Beja,  assegurando a conclusão do IP8 na sua totalidade, entre Sines e Vila Verde de Ficalho, conforme definido no Plano Rodoviário Nacional, com duas vias de transito em cada sentido e sem portagens e que considere o aproveitamento do Aeroporto de Beja como promotor da fixação de população e da indústria na região.

Avatar
Redacção
ADMINISTRATOR
PROFILE