Alqueva: Bloco de Rega de Reguengos de Monsaraz “derrapa nos prazos”

Alqueva: Bloco de Rega de Reguengos de Monsaraz “derrapa nos prazos”

O município de Reguengos de Monsaraz mostrou-se preocupado com aquilo a que chamou “a incompreensível derrapagem dos prazos para o início da obra de construção do Circuito Hidráulico de Reguengos de Monsaraz”, segundo nota de imprensa da autarquia.

Com o anúncio lançado em a 4 de Setembro de 2014 para o desenvolvimento do “Projecto de Execução e Estudo de Impacte Ambiental do Circuito Hidráulico de Reguengos de Monsaraz e Respetivo Bloco de Rega”, para a câmara liderada por Marta Prates, do Partido Social Democrata, “passados mais de 8 anos e após muitas promessas, a sua construção continua a ser um sonho por cumprir”.

Na mesma informação, a presidente da autarquia assumiu que já havia o compromisso anteriormente dado pelo Governo. “Quando a Sr.ª Ministra da Agricultura e da Alimentação, Maria do Céu Antunes, se deslocou ao concelho de Reguengos de Monsaraz no dia 26 de maio de 2022 ficou a sua garantia, perante todas as entidades presentes, de que o Circuito Hidráulico de Reguengos de Monsaraz ficaria totalmente executado e com água nos hidrantes até final de 2025”.
Contudo, isso não aconteceu, conforme esclareceu. “O concurso público da 1ª Fase do Circuito Hidráulico – 1ª subfase Bloco de Rega do Peral, lançado a 18 de fevereiro de 2022 com data limite para apresentação de propostas a 30 de maio de 2022, viu o prazo de entrega de propostas ser prorrogado até 13 de outubro de 2022. Tal prorrogação aconteceu devido à falta de propostas, uma vez que o preço base se encontrava abaixo do custo de mercado, tendo a EDIA efetuado uma revisão dos preços que aumentou em 35% o valor base da empreitada, agora de 17,5 milhões de euros”.

Perante a dúvida do município quanto ao valor base da empreitada poder estar desadequado em relação aos custos de mercado, “a Sr.ª Ministra da Agricultura e da Alimentação afirmou claramente, e perante todos os presentes, que não haveria qualquer problema e que o Circuito Hidráulico de Reguengos de Monsaraz teria água nos seus hidrantes até final de 2025”.
Actualmente, apenas estão em avaliação “as propostas para a empreitada do Bloco de Rega do Peral e Rede Primária, que corresponde à 1ª subfase da 1ª fase do circuito hidráulico”, clarificou a presidente da câmara.

O município considerou que tudo se encaminha para que esteja “perante uma promessa não cumprida, pois ficou claro na reunião que a EDIA somente avançará para novas empreitadas após a conclusão dos processos de concurso da empreitada anterior”.
A garantia é a de que a câmara “vai manter a pressão junto do governo para que o processo do Circuito Hidráulico de Reguengos seja uma realidade, beneficiando a região e a base económica do nosso concelho, que é a agricultura”.
Marta Prates mantém os contactos e reuniões para que o Bloco de Rega de Reguengos de Monsaraz seja construído.

Redacção
ADMINISTRATOR
PROFILE