Início de semana com alerta de chuva forte para o distrito de Beja

Início de semana com alerta de chuva forte para o distrito de Beja

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) colocou o distrito de Beja sob aviso laranja hoje, segunda-feira até às 15 horas, por previsões de precipitação, vento e trovoada, adiantou o organismo em comunicado.

Esperam-se “períodos de chuva ou aguaceiros, por vezes fortes e acompanhados de rajadas fortes”, trovoadas “frequentes e dispersas” e vento “por vezes forte do quadrante sul, com rajadas até 70 km/h”. Em Beja vigora um aviso laranja até às 15 horas por precipitação.

As condições meteorológicas levaram a Protecção Civil a emitir ontem um aviso à população, válido até segunda-feira, por previsões de precipitação e vento no sul do país, alertando para a possibilidade de inundações em zonas urbanas, cheias e deslizamentos de terras.

Face às previsões, a Protecção Civil avisa que podem acontecer inundações em zonas urbanas, por acumulação de água da chuva quando houver obstrução dos sistemas de escoamento, cheias por transbordo de cursos de água, deslizamentos de terras por “instabilidade de vertentes” que podem ser potenciados pelos efeitos de incêndios florestais, arrastamento para as estradas de objetos soltos, desprendimento de estruturas móveis e formação de lençóis de água.

A Protecção Civil recomenda a desobstrução de sistemas de escoamento, fixar estruturas soltas, ter particular atenção à circulação em zonas com árvores, pela possibilidade de queda e quebra de ramos, especial cuidado junto a zonas ribeirinhas, adotar uma condução defensiva e não atravessar zonas inundadas.

Eis as recomendações da Protecção Civil:

– Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;

Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;

– Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atento para a possibilidade de queda de ramos e árvores, em virtude de vento mais forte;

– Ter especial cuidado na circulação junto a zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a fenómenos de transbordo dos cursos de água, evitando a circulação e permanência nestes locais;

– Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água nas vias;

– Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;

– Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança

Redacção
ADMINISTRATOR
PROFILE