Greve dos Enfermeiros “com boa adesão no Hospital de Beja”

Greve dos Enfermeiros “com boa adesão no Hospital de Beja”

A greve de dois dias dos enfermeiros tem sido aquilo que se esperava no distrito de Beja, com “uma boa adesão no Hospital (José Joaquim Fernandes) e as expectativas são boas”, de acordo Edgar Santos da Direcção Regional do Alentejo do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses.

A legislação não permite que os enfermeiros façam uma paralisação total das suas funções e nos dias de greve são obrigados “a prestar os cuidados mínimos”, existindo “uma diminuição dos serviços onde estão a 100%”, explicou.

A reivindicação da correcta contagem de pontos, tem vindo a ser sucessiva perante o Governo, uma “luta” que demorou cinco anos. “Hoje, é a realidade da contagem dos pontos, tanto para os colegas com contrato individual de trabalho, como em funções públicas”, afirmou Edgar Santos.

O diploma aprovado, “não consagra todas as situações anómalas”, ou seja, “os colegas que têm uma especialização acrescida, os pontos remuneratórios são contabilizados só a partir de 2019. Quer dizer que o colega que não, passa à frente na remuneração acrescida, daquele que presta cuidados especializados”.

Não consideram que a situação seja “justa” e por isso, além da greve de dois dias, o SEP apela hoje, dia 23, a uma concentração junto ao Ministério da Saúde, em Lisboa. “De viva voz, os enfermeiros querem dizer ao Ministro da Saúde (Manuel Pizarro) e ao Secretário de Estado da Saúde (Ricardo Almeida) que exigem a rectificação do diploma”, informou o coordenador.
Dois dias de greve dos enfermeiros, que culmina hoje com uma manifestação junto ao Ministério da Saúde, em Lisboa.

Redacção
ADMINISTRATOR
PROFILE