Protecção Civil reclama carreira profissional de Sapadores Florestais  

Protecção Civil reclama carreira profissional de Sapadores Florestais  

O Sindicato Nacional da Proteção Civil (SNPC), tem vindo a alertar o Governo para a necessidade de rever uma carreira para os Sapadores Florestais, que não é revista há mais de 22 anos.

O comunicado de imprensa enviado à Planície, chama a atenção para a situação, onde refere que com a entrada em vigor da medida remuneratória para os Assistentes Técnicos, “os vigilantes da natureza passaram a ganhar menos, mas com mais responsabilidades e com mais funções, nomeadamente na fiscalização e monitorização relativas ao ambiente e recursos naturais, no âmbito do domínio hídrico, do património natural e da conservação da natureza”.

Em contacto com o secretário geral do Sindicato Nacional da Protecção Civil, Costa Velho, afirmou à nossa redacção, que em causa estão 2400 trabalhadores Sapadores Florestais, que “lutam por terem uma carreira profissional há mais de 20 anos e não têm. Trabalham todo o ano na floresta, fazem a primeira intervenção na floresta e têm um papel importantíssimo na prevenção dos incêndios. Se não fossem os Sapadores Florestais, haveria muitos mais incêndios”.

O SNPC diz que é urgente avançar com a revisão da carreira, com mais meios, melhores condições de trabalho e melhores salários, além da inclusão “na recente carreira de Bombeiros Florestais que fazem precisamente a mesma coisa”, declarou com indignação Costa Velho. 

O sindicato lança o desafio ao Governo, de um encontro para encontrar uma solução para o problema.

Redacção
ADMINISTRATOR
PROFILE