“A Ovibeja devia estar aberta ao País” mas “faltam acessibilidades” Presidente da CIMBAL  

“A Ovibeja devia estar aberta ao País” mas “faltam acessibilidades” Presidente da CIMBAL  

A partir de hoje, dia 21 e inserida na 38ª edição da Ovibeja, a Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo, promove as Feiras da Tecnologia, da Ciência e das Profissões do Baixo Alentejo.

Esta iniciativa acontece no âmbito do Projeto + Sucesso Educativo no Baixo Alentejo, que tem como finalidade a promoção da igualdade no acesso ao ensino, a melhoria do sucesso educativo dos alunos e a qualidade e eficiência do sistema de educação, financiado pelo Alentejo 2020.

O presidente da CIMBAL, António Bota, disse à Planície que a ideia desta feira, dentro do grande evento, é a de “estimular os jovens para as oportunidades que têm, mas também para as necessidades que o distrito e a região também têm, naquilo que são as novas profissões. A nossa intenção é mostrar aos nossos jovens que o paradigma da profissão está a alterar”, mas não só. “Os jovens terão de se adaptar à nova realidade, às novas exigências de mercado e das vontades, necessidades e até da qualidade do estudo”.

Assim, é função da CIMBAL, enquanto agente dos municípios, é “representar esta nova comunidade”. 

Durante a conversa com a Planície e porque hoje é o dia da inauguração da 38ª edição da Ovibeja, quisemos saber qual a expectativa de António Bota para o tão esperado evento: “É sempre grande, porque é um momento marcante para todos os baixo alentejanos. É uma feira que trás muita gente de todo o lado, há mostras de tudo e mais alguma coisa. Acima de tudo, há uma nova energia, é o recomeçar, porque a economia tem de recomeçar a funcionar”.

Com a certeza de que esta feira poderia ser ainda mais grandiosa, reforçou que os problemas dos acessos à capital de distrito, prejudicam o certame: “É pena que a Ovibeja não se faça com melhores acessibilidades, com uma auto estrada a ligar Beja, com uma linha de comboio já com alguma decência. Enfim, aqueles investimentos públicos que eram necessários para dinamizar o nosso baixo Alentejo. Continuamos a ter uma Ovibeja no distrito, quando devia estar aberta ao País”.   

Recorde-se que são esperados cerca de 100.000 visitantes durante os cinco dias da maior feira de agropecuária do Sul do País.  

A CIMBAL organiza as Feiras da Tecnologia, da Ciência e das Profissões do Baixo Alentejo na Ovibeja. António Bota espera um certame “em grande”, mas diz que a feira poderia ser para o País e não só para o distrito se houvesse melhores acessibilidades.

Redacção
ADMINISTRATOR
PROFILE