A primeira entrevista de Álvaro Azedo após ser reeleito na autarquia – “Sinto-me mais preparado do que há quatro anos”

A primeira entrevista de Álvaro Azedo após ser reeleito na autarquia – “Sinto-me mais preparado do que há quatro anos”

Na primeira entrevista ao jornal “A Planície” após ser reeleito presidente da Câmara Municipal de Moura, Álvaro Azedo mostrou-se confiante com o apoio que espera conseguir ter da parte das outras duas forças partidárias. Este novo mandato encara-o como “um imenso desafio”, em que apesar de “não ter maioria, temos de construir “pontes” com quem fazem parte destes órgãos vitais (câmara e assembleia), no sentido de caminharmos como até aqui, num modelo diferente, mas servindo a nossa população de forma honesta, sincera e proactiva”.

A encarar de forma calma a actual situação de governação, o autarca do PS (Partido Socialista) afirmou que “enquanto num cenário de maioria toda a responsabilidade fica em cima de quem lidera os destinos do município, neste caso todos seremos responsáveis”. E acima de tudo garante que “este executivo da Câmara Municipal de Moura manterá a mesma atitude, saberá ouvir e concertar posições, mas não iremos prescindir daquilo que é o mais importante para nós: um trabalho honesto, sério e que de facto não hipoteque o que muito já conseguimos construir ao longo do passado mandato e que temos de cimentar nos próximos quatro anos”.

Com a certeza de “levar o barco a bom porto”, o presidente acredita numa situação favorável a todos. “Estou certo que conseguiremos essa convergência, porque estamos de espírito aberto para construir esse trajecto. E não vimos a actual situação como algo negativo, mas como um exercício de democracia pleno, exigente e um grande desafio”.

Enquanto num cenário de maioria toda a responsabilidade fica em cima de quem lidera os destinos do município, neste caso todos seremos responsáveis”

Em jeito de confissão, Álvaro Azedo afirmou que aprendeu com a experiência do mandato passado e que se sente “mais preparado do que há quatro anos. Fomos aprendendo e conhecendo melhor os serviços do município. Estamos mais capacitados a todos os níveis para servir bem a população e a fazer este trabalho de cooperação com as instituições, com as empresas e com a população. Temos de ter presente que este é um trabalho exigente, que não nos basta ser boas pessoas e que temos de saber dizer “não” a muitas situações”.

Ciente dos erros que cometeu há quatro anos, afirmou convicto que há uma coisa que nunca vai permitir que aconteça: “Que os nossos erros nunca coloquem em causa a vida do município e dos munícipes. Obviamente que cometemos erros, se calhar poderíamos ter ouvido mais a oposição, também admito isso, mas o que é certo é que somos o reflexo daquilo que nós recebemos. O que tenho sentido é que as pessoas estão com vontade de conversar e de haver uma aproximação entre todos”.

Com vontade de mudança e de melhoria, o líder da autarquia mourense lamenta que nem ele, nem a equipa consigam “fazer tudo aquilo que desejávamos, nem chegar ao máximo das expectativas das pessoas, mas a vontade de lhes dar a cobertura é um desiderato nosso”. E reforçou algumas das pretensões: “Melhorar a capacidade dos serviços da Câmara Municipal de Moura, melhorar a relação com as Juntas de Freguesia e acima de tudo, ir ao encontro das aspirações da população. Ter um concelho que seja um destino competitivo face aos demais concelhos, criar emprego ou ajudar as empresas a criar emprego e fazer com que as pessoas tenham prazer e paixão por viver neste concelho”.

Não vimos a actual situação como algo negativo, mas como um exercício de democracia pleno, exigente e um grande desafio”

Apesar das “boas” intenções deste mandato, Álvaro Azedo não esquece a maior responsabilidade que assumiu com os munícipes e que é “manter o concelho unido.  Que toda a gente sinta que os tempos são de grande exigência, mas de solidariedade, de compromisso e de paixão por aquilo que fazemos e de capacidade para darmos mais”. Por outro lado, “queremos que o concelho de Moura seja um concelho não só dos que cá nasceram, mas também daqueles que para aqui vêm trabalhar e iniciam o seu projecto de vida”.

No que toca às propostas prioritárias de governação para os quatro anos, o autarca considera que “os projectos que fazem parte do nosso compromisso eleitoral que estão em cima da nossa secretária e que vamos tentar implementar com diálogo, mostram às pessoas que tínhamos razão e que os dois anos que se atravessaram na nossa vida com esta pandemia, nos roubaram tempo e condições para trabalhar de forma serena, porque tivemos de nos preocupar mais com as pessoas do que com outras coisas”.

Com os olhos no futuro, o presidente reeleito pretende “consolidar o nosso trabalho e isso é o mais importante sem lamechices, sem carpir mágoas, mas sempre cientes que há uma coisa que temos de fazer à nossa população: falar sempre a verdade porque estamos mais próximos de garantir a confiança das pessoas. É esse o espírito que este executivo tem”, finalizou Álvaro Azedo convicto do trabalho que tem pela frente ao longo destes quatro anos.  

Redacção
ADMINISTRATOR
PROFILE