“Medidas do OE não vão solucionar os problemas dos Bombeiros” Federação de Beja

“Medidas do OE não vão solucionar os problemas dos Bombeiros” Federação de Beja

A Proposta de Lei do Orçamento do Estado para 2022, prevê um aumento do financiamento permanente para as Associações Humanitárias de Bombeiros (AHB) superior a um milhão de euros face a 2021, o que representa um aumento de 3,7%.

Complementarmente, atribui-se uma verba adicional de 2,5 milhões de euros – correspondente a 8,4% do orçamento de referência – para reforço da capacidade operacional das AHB e, também, para fazer face aos constrangimentos financeiros decorrentes do empenhamento nas operações associadas à doença COVID-19.

Por fim, a Proposta de Lei do Orçamento do Estado para 2022 prevê ainda um aumento superior a 920 mil euros para o Fundo de Proteção Social do Bombeiro, passando este Fundo a receber perto de 1,8 milhões de euros em 2022.

O Presidente da Federação dos Bombeiros do Distrito de Beja, Domingos Fabela disse à Planície que “qualquer aumento é bem vindo, só que temos algumas reservas quanto ao mesmo”. E adianta que “não resolve os problemas dos Bombeiros”. Sobre a verba sublinha que “a questão do financiamento das Associações do País, que rondam quase 430 e têm um exército de 30 mil homens, não vai ser solucionado com estas medidas, os problemas continuam por resolver”.

Domingos Fabela salienta que “basta pensar que, nós temos em termos de comparticipação por parte da Administração Interna, através da Autoridade Nacional da Protecção Civil cerca de 28 milhões de euros, respeitante a 430 Associações, isto diluído, acaba por não solucionar os problemas das Associações”.

Segundo a proposta do OE 2022, o valor corresponde a um crescimento de cerca de 107% face a 2021, permitindo concretizar a atribuição dos benefícios legalmente consagrados – dos quais se destacam o reembolso de propinas e de taxas de inscrição pela frequência dos ensinos secundário ou superior, o reembolso de parte das despesas suportadas com berçários, creches e estabelecimentos da educação pré-escolar e a pensão de Preço de Sangue.

Dispositivo de combate a incêndios nos corpos de bombeiros mantém-se activo até final do mês

Tendo em conta as previsões meteorológicas, que continuam favoráveis à ocorrência e desenvolvimento de incêndios rurais, o Ministro da Administração Interna decidiu prorrogar, até 31 de Outubro, o dispositivo terrestre de combate a incêndios rurais nos corpos de bombeiros, de modo a assegurar a manutenção de um dispositivo de resposta adequado ao risco de incêndio rural.

Este dispositivo manterá um efectivo de 3.933 bombeiros, correspondendo a 798 equipas, apoiados por 848 veículos, que complementam o dispositivo permanente terrestre, e os 41 meios aéreos que se mantêm ao serviço até ao final de Outubro, nos termos da Directiva Operacional Nacional n.º 2.

Redacção
ADMINISTRATOR
PROFILE