Moura com queda de árvores e algumas inundações

Moura com queda de árvores e algumas inundações

No distrito de Beja, os concelhos com mais ocorrências são segundo a Autoridade Nacional de Emergência e Protecção Civil (ANEPC), “na margem esquerda do Guadiana, em especial na zona de Moura e também em Serpa e Barrancos”.

O presidente da Câmara Municipal de Moura, que é simultaneamente o responsável máximo da Protecção Civil Municipal, Álvaro Azedo, referiu à Planície que “tivemos períodos de chuva muito intensa, mais do que era desejável, na manhã de terça feira” acrescentando que “estivemos a preparar as zonas críticas, durante dois dias, reforçando a limpeza”.  O edil mourense sublinhou ainda que “houve árvores caídas e algumas residências inundadas. O serviço do município deu uma resposta, dentro daquilo que são as necessidades da população”.

O presidente da Federação das Associações de Bombeiros do Distrito de Beja, Domingos Fabela, disse à Planície que em termos de estradas no concelho de Moura, “na que liga Pias a Moura temos zonas críticas, na medida em que houve zonas com troços submersos. Isto dificultou quem têm que trabalhar e que tem que se deslocar no seu dia a dia”. E acrescentou que “temos tentado, através dos serviços de Protecção Civil e dos nossos bombeiros resolver todas estas situações, que de alguma forma estão a normalizar”.

Todos os distritos de Portugal continental estão hoje, quarta-feira sob aviso amarelo, devido à previsão de aguaceiros, por vezes fortes, de granizo, acompanhados de rajadas de vento forte e trovoadas, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Redacção
ADMINISTRATOR
PROFILE