Alqueva não conseguiu conter o despovoamento no Alentejo

Alqueva não conseguiu conter o despovoamento no Alentejo

Apesar dos 4 milhões de euros investidos no projecto hidroagrícola nacional, os Censos 2021 mostram que esse factor não foi decisivo na fixação da população nos cinco concelhos de Beja

Os resultados preliminares dos Censos 2021 revelam números preocupantes: entre 2011 e 2021, o Alentejo perdeu 41.000 habitantes e nem os 4 milhões de euros investidos naquele que é um dos maiores projectos hidroagrícola nacional, nos cinco concelhos do distrito de Beja, que abarca 85% do olival moderno, impediu esse despovoamento. Neste caso, os números são superiores a 7.500 habitantes.

Só o concelho de Moura perdeu 1900 habitantes, tenho passado de 15.167 habitantes em 2011, para 13.267 em 2021.

A reportagem sobre o assunto mereceu destaque no jornal Público, contrariando as expectativas socioeconómicas mais optimistas sobre o impacto do Alqueva, onde seria expectável o aumento dos postos de trabalho na área da agricultura e na agroindústria, contribuindo para a fixação da população e promovendo a renovação das gerações.

Este estudo, “Alentejo: A Liderar a Olivicultura Moderna Internacional”, foi apresentado na 6ª edição das jornadas da Olivum – Associação de Olivicultores do Sul, em Novembro de 2019, contrariou agora os resultados dos Censos 2021.

Redacção
ADMINISTRATOR
PROFILE