Covid-19 – Vacinação de 50% dos bombeiros – Corporações do distrito de Beja não se reveem na decisão

Covid-19 – Vacinação de 50% dos bombeiros – Corporações do distrito de Beja não se reveem na decisão

O coordenador da ‘task force’, Henrique Gouveia e Melo, referiu que a vacinação das forças de segurança e bombeiros vai deixar de liderar as prioridades devido à escassez de vacinas, sendo reforçada a administração a pessoas com 80 ou mais anos e entre os 50 e os 79 anos com doenças crónicas.

O presidente da Federação das Associações de Bombeiros do Distrito de Beja, Domingos Fabela, adiantou à Planície que “a nível nacional foi definido que só 50% dos bombeiros seriam vacinados. O distrito de beja, não fugiu à regra e foi assim que foi definido. Com muito pesar nosso, pela decisão, porque não nos revemos numa decisão destas”. E acrescenta que “os nossos bombeiros, que estão na linha da frente, mereciam outra atenção, não aquela que tiveram. É de lamentar que só tivessem sido contemplados esses 50%”.

Domingos Fabela adianta que “esta fase já está concluída, metade dos efectivos operacionais do distrito de Beja estão vacinados. Alertámos em tempo devido com apreensão e preocupação para a 2ª fase, chamemos-lhe assim, para a vacinação dos restantes bombeiros. Não obtivemos nem feedback, nem garantias absolutamente nenhumas de que estivesse para breve”.

O presidente da Federação dos Bombeiros do Distrito de Beja, mostra-se bastante descontente com esta situação, sublinhando que “lamentamos, voltamos a repudiar e a mostrar o nosso descontentamento e desagrado, perante as entidades responsáveis, neste caso a Administração Interna e o Governo, que não tiveram em devida conta o serviço que prestamos às populações”.

Sobre a situação actual no distrito Domingos Fabela refere que “hoje em dia, o que se está a passar é que estamos na 1ª fase e houve alguns constrangimentos na vacinação dos 50% do efectivo. A vacina teve alguns efeitos secundários e algumas reacções que retiraram pontualmente alguma capacidade de operacionalidade, na medida em que ficamos com alguns bombeiros afectados, com febre, dores de cabeça. Acabou por resultar no seu afastamento. Já está tudo a entrar na normalidade. Deixo aqui o meu desagrado e lamento a falta de respeito pelos Bombeiros, não só do nosso distrito como do País”.

A vacinação contra a covid-19 em Portugal começou em 27 de Dezembro, abrangendo primeiro profissionais de saúde envolvidos na resposta a esta doença, e estendendo-se depois a profissionais e residentes em lares de idosos e unidades de cuidados continuados.

A primeira fase do plano de vacinação incluía também profissionais das Forças Armadas, forças de segurança e serviços considerados críticos. O programa de vacinação dos bombeiros arrancou em 11 de Fevereiro no distrito de Lisboa.

Avatar
Redacção
ADMINISTRATOR
PROFILE