Voleibol – Entrevista com Miguel Sinfrónio

Voleibol – Entrevista com Miguel Sinfrónio

“Com a força do coração, vossos sonhos serão concretizados”

Entrevista com Miguel Sinfrónio  

No passado mês de Abril, o Benfica sagrou-se campeão nacional de voleibol edição 2018/19. A formação encarnada somou o oitavo título nacional, ao seu palmarés e selou o “tri” desta temporada. Na turma lisboeta joga o mourense e campeão nacional Miguel Sinfrónio, que em entrevista concedida à Planície, nos fez um breve balanço da temporada.   

“Eu diria que a época 2018/2019 foi uma época bastante positiva, não só para mim, em termos físicos e técnicos, mas para a equipa B no geral, onde eu joguei a maior parte da época. Foi um ano especial, nunca tive tantos laços de amizade com os meus colegas de equipa, como tive este ano. Alcançámos o 3º lugar no campeonato, mas eu acho que poderíamos ter conquistado o 1º lugar, se este projeto não fosse tão recente. Foi um ano de aprendizagem e de grande crescimento. Relativamente aos seniores A, estive presente sempre que me chamaram, ajudei ao máximo quando necessário e creio que também fui uma ajuda. para atingirmos o triplete.

Planície: Que representa para ti seres campeão de voleibol pelo Benfica?

Para mim foi um sentimento incrível, pois nunca pensei em chegar tão longe no voleibol. Já o ano passado foi espectacular ter conseguido conquistar o 1º lugar no campeonato de juniores e nunca me irei esquecer destes momentos. Ser campeão para mim representa uma grande responsabilidade, pois isto não acaba  aqui. Pretendo ter muitas mais destas conquistas na minha carreira desportiva.

Planície: Como é reconciliar estudos e praticar a modalidade de voleibol?

Não é fácil. Durante a época desportiva e escolar tem que haver um equilíbrio, entre as duas vertentes. Por vezes tem que se abdicar de certas coisas para que tudo resulte sem falhas, pois é importante que não haja falhas, para se conseguirem os objectivos. 

Planície: Qual tem sido o apoio familiar?

O apoio que a minha família me dá é espectacular, em especial o meu pai e a minha mãe. Sem a minha família eu acredito, que não conseguiria chegar a metade do caminho que já percorri. São muitos fins-de-semana sem nos vermos, apenas a falarmos por telemóvel, é difícil estar longe deles, apesar de já me ter ‘habituado’. Mas isto é tudo em prol do meu futuro, académico e desportivo, portanto eu creio que é um sacrifício   feito, mas não em vão.

Planície: Como consideras a evolução do voleibol em Moura?

Na minha opinião, o voleibol em Moura tem vindo a crescer, cada vez vejo mais pessoas a gostar e a prestar atenção á modalidade, tenho o exemplo da minha irmã, que pratica o desporto e adora praticá-lo.

Planície: Como vislumbras o futuro na tua carreira como atleta?

A minha carreira ainda é muito ‘fresca’, jogo há 4 anos no Benfica e há 2/3 no Moura, portanto não consigo dizer muitos pormenores sobre o meu futuro. Vou simplesmente colocando objetivos na minha carreira, sendo o próximo  jogar a tempo inteiro nos seniores A. Depois desse objetivo cumprido ‘logo se vê’. Mas um dos meus sonhos, desde que comecei a jogar voleibol, é experienciar o voleibol no estrangeiro.

Planície: Qual a mensagem aos jovens na prática do voleibol?

Nada é impossível, eu comecei a jogar num clube ‘pequeno’, mas trabalhei, motivei-me e sonhei muito,  conseguindo concretizar o meu 1º sonho, que era jogar pelo Benfica. Se eu consegui, qualquer um consegue, apenas tem que estabelecer prioridades, querer muito, ambicionar e trabalhar com o coração, pois se se moverem com a força do coração, os vossos sonhos serão concretizados.

Comentários

Tem de estar registado para fazer comentários.